jejum intermitente

Jejum intermitente é realmente eficaz?

A dieta do jejum intermitente se tornou a queridinha de celebridades e influenciadores digitais na internet. Porém, antes de aderir a ela é preciso entender se o método é realmente eficiente e se pode fazer mal para a saúde. Neste artigo, tiramos as dúvidas mais comuns sobre este assunto.

Jejum intermitente realmente funciona?

Há anos temos ouvido falar que para manter a saúde e a boa forma, o ideal é se alimentar diversas vezes ao dia, de preferência de três em três horas, focando em opções leves, saudáveis e de preferência, pouco calóricas.

Mas, nos últimos meses uma nova mania vem tomando a conta do universo do emagrecimento: o famoso jejum intermitente. Trata-se de uma nova maneira de ver a frequência da alimentação, que segundo os adeptos, deve acontecer somente quando a pessoa sente realmente fome.

Isso significa, portanto, que quem segue esta tendência se alimenta menos vezes ao dia, levando em consideração o ritmo do próprio corpo. De forma geral, não há uma receita pré-estabelecida nem tampouco uma quantidade de horas específicas que a pessoa deve ficar sem se alimentar, mas ele pode durar oito, doze ou até vinte horas.

Este hábito, segundo os defensores do método, acaba por alterar o metabolismo que passa a queimar gordura para gerar energia. Durante as horas sem comer, está liberado apenas o consumo de água, chás e café sem adoçantes ou açúcar.

Cada corpo é único e exige um consumo calórico diário diferente. Por isso, ficar longos períodos sem se alimentar pode ter efeitos diferentes de acordo com o metabolismo de cada um.

O ideal para emagrecer é contar sempre com o apoio e as indicações de um profissional. Em geral, ele indicará a diminuição do consumo de carboidratos e foco em opções mais leves e saudáveis. O mais importante é buscar uma alimentação balanceada, rica em vitaminas e sais minerais.

Para que o resultado na balança seja realmente o esperado, indica-se que o paciente mantenha uma rotina de exercícios e atividades físicas a fim de garantir a saúde e a forma muscular.

É importante salientar ainda que não é toda pessoa que está apta para colocar em prática os métodos do jejum intermitente. Pacientes que sofrem de diabetes, hipoglicemia, alterações na tireoide ou quaisquer doenças que tenham como resultado alterações relacionadas à alimentação como, por exemplo, a bulimia ou a anorexia, devem procurar outra forma de dieta, sob prescrição médica.

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como endocrinologista em Goiânia e Anápolis!

Dra. Lanna Gomes

Posted by Dra. Lanna Gomes